Nordeste: Problema e Solução – Ciclo Industrial

Estude a história de qualquer país desenvolvido e vai encontrar algumas semelhanças. Uma delas é o Ciclo Industrial.

Vejam a China: Shang Hai se tornou uma cidade do nível dos melhores países do mundo. Isto é um sinal de que a China, que há bem pouco tempo atrás era um país rural, está se tornando um país desenvolvido, muito à frente do Brasil.

Hoje a China é o parque industrial do mundo, assim como já foram a Inglaterra, a França, a Itália e os Estados Unidos. Inclusive o Ciclo Industrial começou na Inglaterra, que fez com que a Inglaterra ultrapassasse Portugal em pouco tempo e se tornasse a maior potência do mundo do século 16.

Aqui no Brasil parece que ninguém estuda história. Aqui todo mundo quer tentar tudo aquilo que já foi tentado no mundo, sem aproveitar a experiência alheia. O governo e o Tio Lula preferem ficar com essa política escravista de manter as pessoas sofrendo no campo com o seu amado bolsa-família. E enquanto isso a China largou mão dessa bobeira e partiu para o próximo passo da evolução: entrou no Ciclo Industrial.

A China vai evoluir, assim como os países europeus e os Estados Unidos. Há quem acredite que a China vai ultrapassar os Estados Unidos. Tomara. E eu ficaria muito feliz se o nordeste brasileiro caísse na real e assumisse essa posição de parque industrial do mundo.

A fase industrial não é das melhores. Poluição, problemas trabalhistas, corrupção, muita coisa errada. Mas o benefício à longo prazo é uma bênção…

Nordeste: Problema e Solução – Universidades

Conforme explanado no meu post anterior, vou relatar aqui uma idéia para o desenvolvimento do norte e nordeste brasileiro: Universidades.

Faça-mos um exercício mental. Imaginemos uma mega universidade pública no meio do nordeste. O que aconteceria no decorrer da história?

Imaginem milhares de jovens espalhados pelo Brasil em busca de estudo e trabalho, e de repente aparece uma universidade gratuita fora dos grandes centros. Eis aí uma oportunidade de estudar para este jovem. Já é cultura de muitos países desenvolvidos o ato de “enviar” os filhos às universidades. A miscigenação de culturas, a experiência de estar longe dos pais, conhecer um lugar diferente, por si só já é quase tão importante quanto os estudos.

Agora imaginem para a região. O governo não precisa incentivar nada. A universidade levará à região uma nova cultura. Pessoas de cidades, com noção de direitos, estarão ali, convivendo, consumindo, vivendo e contribuindo para o local. O grande lance do desenvolvimento é fazer com que as coisas andem sozinhas. Se o governo precisar fazer tudo, não funciona, a história já provou isso.

Levar pessoas com mais estudo para um lugar sem desenvolvimento sempre deu certo no mundo. Onde foi construída uma universidade, surgiu ao seu redor uma cidade próspera que não depende de governo para viver.

No Brasil há uma imensa população de jovens que não tem horizonte algum em suas vidas. Os jovens não tem futuro no Brasil. Não vêem nenhum horizonte em suas vidas. Uma universidade gratuita é a oportunidade dele de ter um futuro, é um eldorado que surge, uma esperança numa terra distante, que pode se tornar seu lar.

Está na hora de invertermos a migração que existe no Brasil. Fazer com que os jovens pobres do norte e nordeste não venham superlotar as favelas do sul e sudeste, e sim que os jovens do sul e sudeste levem apoio e desenvolvimento ao norte e nordeste. Parar de dar a esmola do bolsa família e dar futuro para essas pessoas.

Eu sei que é apenas uma idéia. Pode até ser uma idéia maluca, mas eu acredito que pode ser discutida e melhorada. De repente não neste formato que eu propus, mas de uma outra maneira que atinja o mesmo objetivo: O Desenvolvimento.

E você? O que acha?

Nordeste: Problema e Solução

É fato que não existe país tropical (localizado entre os trópicos) desenvolvido. Gire o globo e verá inclusive que todos os países desenvolvidos estão ao norte dos trópicos, exceto a Austrália. Mas nos trópicos, nenhum.

Isto me dá certo medo. Será que o clima influencia tanto as pessoas, ao ponto de influenciar no trabalho? Será que onde é calor, as pessoas sempre trabalharão menos e não se preocuparão com tempos difíceis? Será que o clima frio faz as pessoas se preocuparem mais com o futuro? Será que estamos perdendo tempo e o Brasil nunca irá pra frente?

Mas o Brasil não é inteiro tropical. Inclusive a diferença cultural e de desenvolvimento do norte (tropical) para o sul (sub-tropical) é enorme. O conflito é inevitável. O sul do Brasil vê o norte e nordeste como um problema, o norte e nordeste vê o sul como ricos opressores. Já os políticos vêem o sul como fonte de renda e o norte e nordeste como fonte barata de votos. Então o que fazer?

Há quem ainda insista em dividir o Brasil. Não deixa de ser uma solução, mas me parece um tanto inviável. A solução mais viável e mais certa é desenvolver o norte e nordeste. Um norte e nordeste desenvolvido não precisa do dinheiro do sul e também não aceita mais ser curral eleitoral de político safado.

Pra falar a verdade o desenvolvimento do norte e nordeste é a solução do Brasil inteiro. Seria tão bom para o país inteiro que o sul e sudeste deveriam se concentrar nisso com mais atenção. Se pagaria menos imposto, já que o norte e nordeste não precisaria de mais ajuda, o sul não seria governado por políticos eleitos por currais eleitorais do norte, além de eliminar o problema da migração que ainda existe no país.

Mas aí vem a pergunta de um milhão de dólares: COMO DESENVOLVER O NORTE E NORDESTE?

Eu tenho duas idéias. Tudo bem que de idéias o inferno está cheio, mas são duas idéias que considero viáveis, abrangentes e poderosas. Não são idéias pontuais, como um prédio aqui ou ali, ou outro jeito de dar dinheiro para as pessoas não trabalharem e gastar mais dinheiro do que o governo tem. São idéias que funcionam como bolas de neve lançadas morro abaixo, que andam sozinhas, demandam menor esforço inicial e que tem boa chance de crescer.

Nos próximos 2 posts explanarei minhas 2 idéias: Universidades e Ciclo Industrial.

Imposto na Gasolina e no Carro

O brasileiro, o “povão”, também conhecido como brasilóide, sempre faz cara de interrogação quando falam que a gente paga muito imposto. Porque para o brasileiro, como ele não vai ao banco com um boleto escrito “imposto”, ele acredita que ele não paga imposto algum.

Então aqui vai um “cala boca” pra esse povo…

Fontes: Petrobrás e Revista Exame

Simplesmente 43% da gasolina e 42% dos automóveis é imposto! Fazendo uma conta rápida, se você abastece uns 100 reais 3 vezes por mês e troca de carro a cada 2 anos, considerando um carro de 40 mil reais, você vai pagar R$ 9.948,00 por ano de imposto!!! Isso só no carro e gasolina!!! Coloca aí mais a manutenção do carro, você está dando para o governo praticamente R$ 1.000,00 por mês em impostos!!! Tudo bem que parte do imposto que você pagou no carro, você vai recuperar quando vender o carro, mas o governo recebeu seu dinheiro!!! Isso porque não estamos incluindo na conta os impostos descontados no salário, no supermercado, no médico, nos imóveis, etc…

Agora fala se a gente não é feito de trouxa? Eu deveria fazer cartazes com essas imagens e espalhar pelo país para que cada brasilóide saiba que paga muito imposto. Os postos de gasolina deveriam distribuir folhetos com isso a cada abastecimento. No caixa dos supermercados deveriam mostrar com letras grandes o quanto daquilo é imposto.

Quem sabe essa seria uma maneira de usar da mediocridade do brasilóide para algo nobre.