Implicante

Descobri mais um site que vale a visita. Mais um brasileiro se mexendo pra colocar um pouco de lógica nessa republiqueta ignorante.

Pare o que estiver fazendo e visite http://www.implicante.org/

Anúncios

Bolsa-Guerrilha: Dilma processa o Brasil

Retirado daqui: http://betocritica.blogspot.com/2010/08/quanto-dilma-esta-pedindo-na-bolsa.html

 

A candidata Dilma Rousseff (PT) está movendo um processo contra o estado brasileiro.

Ela está requerendo indenização pelos tempos em que militou na guerrilha armada, tentando implantar o comunismo no Brasil. Enquanto esteve na guerrilha, o grupo guerrilheiro do qual participava ativamente assassinou soldados, praticou atentados à bomba, roubou cofres, sequestrou. Foi contra a ditadura, beleza, mas não foi santa.

Desde 2002, Dilma está processando o Estado. O processo já teve 23 movimentações. Agora chegou ao gabinete do Presidente Lula. É importante saber quanto a Dilma quer ganhar. Especialmente neste momento em que o TCU está disposto a revisar os verdadeiros absurdos cometidos na distribuição da bolsa guerrilha. Lula ganha perto de 5 mil mensais por ter passado 30 dias na prisão, assediando o menino do MEP e pedindo pizza para o jantar. Não perdeu o emprego porque já não trabalhava, já era pelego do sindicato.

Quanto será que a Dilma está querendo faturar em cima dos impostos que nós pagamos? Quanto será que ela está pedindo? É uma boa pauta para os jornalistas ou para o que ainda resta deles. Quem pergunta? Meu bolso, que sustenta essa farra, agradece.

 

Brasil um país de classe média

Agora no final da eleição, a Tia Dilma colocou no seu programa de rádio e TV a declaração de que luta para que o país seja um país de classe média.

“País de classe média” significa tornar o Brasil um país onde a maioria das pessoas é de classe média. O que seria fantástico, já que hoje a coisa tá feia, a maioria é pobre e sem perspectiva.

Agora, o que o Tio Lula fez ajudou a classe média? NÃO. Pelo contrário, tem impedido a classe média de evoluir. Na verdade esse discurso é apenas demagogia para conquistar o voto da classe média, onde o PT não tem vez. Diga-se de passagem, demagogia é a especialidade do PT, a começar pelo próprio nome do partido.

A real é que a linha de governo do PT segue para um país “classe-média-bem-baixa”, dependente e obediente ao governo, onde quem estuda muito e quer trabalhar e ganhar mais não tem vez. Quem quiser ter uma casa um pouco maior ou um carro com ar condicionado, é taxado de burguesia opressora e assaltado pelos impostos. Se continuar assim, vamos ter um país onde todos são classe média bem baixa, mas metade trabalha, metade não. Advinha qual metade vai apoiar o PT?

Uma hora a metade que trabalha vai ficar brava, e aí vai dar merda…

Brasileiro vai ser sempre brasileiro

Brasileiro vai ser sempre brasileiro

Muitas vezes eu me esforço aqui em demonstrar o quanto estamos errados e o quão simples e óbvia é a solução correta para os problemas do nosso país. Mas eu acho que nunca consegui ser tão claro e objetivo como o texto do link abaixo:

http://www.morroida.com.br/brasileiro-vai-ser-sempre-brasileiro/

Concordo em gênero, número e grau, sem mudar uma vírgula. Parem o que estiverem fazendo e leiam este texto. Agora.

Eu não queria ir para a escola

Eu não queria ir para a escola quando era pequeno. Não mesmo.

Todos os dias eu acordava às 6 da manhã para entrar às 7 na escola. E todos os dias eu dizia para a minha mãe que eu não queria ir. Eu vestia meu uniforme reclamando, calçava meu “kichute” reclamando, tomava meu leite reclamando, ia a pé para a escola de mãos dadas com a minha mãe reclamando. E o que minha mãe fazia? Me levava para a escola. Simples. Ou me ignorava ou me dava uns tapas e uns puxões de orelhas. Mas ainda sim me levava para a escola. Eu fazia birra, me jogava no chão, e minha mãe me levava para a escola. Hoje eu agradeço à minha mãe por cada tapa e puxão de orelha.

Mas hoje as mães não são mais assim. As mais pobres tiram o filho da escola, as de classe média culpam a escola e as mais ricas pagam terapeuta. Parece que essas mães de hoje não sabem o óbvio que minha mãe sabia: Não se dá ouvidos a uma criança de 7 anos de idade.

Mas deixando de lado essa discussão pedagógica, o que me assusta mesmo é o que acontece com os mais pobres. E digo mais: O principal e maior problema do Brasil é a falta de estudo dos mais pobres. Não é a fome, nem violência, nem pobreza, nem saúde, nem poluição, nada. O maior problema do Brasil é a educação.

Vou repetir: O MAIOR PROBLEMA DO BRASIL É A EDUCAÇÃO. A EDUCAÇÃO RESOLVE TODOS OS OUTROS!!!

E digo mais: Todos os países desenvolvidos tem altos níveis de educação. Simplesmente todos, sem excessão. E não há nenhum país subdesenvolvido com bons níveis de educação. É o que minha mãe já sabia: A fórmula do desenvolvimento é a educação. Seja uma pessoa ou seja um país.

Minha mãe inclusive me obrigou a estudar até a faculdade. Não queria apenas que eu aprendesse a ler e a escrever. Era pra ser alguém na vida. Ela dizia que ler e escrever qualquer um sabia, até ela.

Para quem não sabe, em alguns países desenvolvidos o estudo é OBRIGATÓRIO. Não tem conversa, criança em idade escolar é obrigada a estudar. E ponto final. Se o pai não levar o filho na escola, vai preso! É cadeia mesmo! É crime tirar a criança da escola. Aqui isso até acontece, mas é exceção.

Esqueçam essa de bolsa-família, de investimento do BNDES, de grau de investimento, de reforma agrária, de todas estas tentativas de levar o país pra frente. É tudo perda de tempo. A ÚNICA SOLUÇÃO PARA O BRASIL É A EDUCAÇÃO. O dia em que o estudo até a faculdade for obrigatório no Brasil, neste dia seremos um país de primeiro mundo. Até lá estamos perdendo tempo e sustentando um povo feito de trouxa pelo governo. Governo que mantém o povo burro para assim dominá-lo.

Ah se o Tio Lula conhecesse a minha mãe…

Eu não queria ir para a escola

Este é mais um texto que há muito tempo eu queria escrever, então peço paciência e atenção de todos que estão lendo.

Todos os dias eu acordava às 6 da manhã para entrar às 7 na escola. E todos os dias eu dizia para a minha mãe que eu não queria ir. Eu vestia meu uniforme reclamando, calçava meu “kichute” reclamando, tomava meu leite reclamando, ia a pé para a escola de mãos dadas com a minha mãe reclamando. E o que minha mãe fazia? Me levava para a escola. Simples. Ou me ignorava ou me dava uns tapas e uns puxões de orelhas. Mas ainda sim me levava para a escola. Eu fazia birra, me jogava no chão, e minha mãe me levava para a escola. Hoje eu agradeço à minha mãe por cada tapa e puxão de orelha.

Mas hoje as mães não são mais assim. As mais pobres tiram o filho da escola, as de classe média culpam a escola e as mais ricas pagam terapeuta. Parece que essas mães de hoje não sabem o óbvio que minha mãe sabia: Não se dá ouvidos a uma criança de 7 anos de idade.

Mas deixando de lado essa discussão pedagógica, o que me assusta mesmo é o que acontece com os mais pobres. E digo mais: O principal e maior problema do Brasil é a falta de estudo dos mais pobres. Não é a fome, nem violência, nem pobreza, nem saúde, nem poluição, nada. O maior problema do Brasil é a educação.

Vou repetir: O MAIOR PROBLEMA DO BRASIL É A EDUCAÇÃO. A EDUCAÇÃO RESOLVE TODOS OS OUTROS!!!

E digo mais: Todos os países desenvolvidos tem altos níveis de educação. Simplesmente todos, sem excessão. E não há nenhum país subdesenvolvido com bons níveis de educação. É o que minha mãe já sabia: A fórmula do desenvolvimento é a educação. Seja uma pessoa ou seja um país.

Minha mãe inclusive me obrigou a estudar até a faculdade. Não queria apenas que eu aprendesse a ler e a escrever. Era pra ser alguém na vida. Ela dizia que ler e escrever qualquer um sabia, até ela.

Para quem não sabe, em alguns países desenvolvidos o estudo é OBRIGATÓRIO. Não tem conversa, criança em idade escolar é obrigada a estudar. E ponto final. Se o pai não levar o filho na escola, vai preso! É cadeia mesmo! É crime tirar a criança da escola. Aqui isso até acontece, mas é exceção.

Esqueçam essa de bolsa-família, de investimento do BNDES, de grau de investimento, de reforma agrária, de todas estas tentativas de levar o país pra frente. É tudo perda de tempo. A ÚNICA SOLUÇÃO PARA O BRASIL É A EDUCAÇÃO. O dia em que o estudo até a faculdade for obrigatório no Brasil, neste dia seremos um país de primeiro mundo. Até lá estamos perdendo tempo.

Ah se o Tio Lula conhecesse a minha mãe…

Salário mínimo não é unidade de medida!

Hoje não é mais comum, mas antigamente muitos contratos eram firmados em “salários mínimos”. Serviço de contabilidade era até engraçado. Todos os contadores cobravam um salário mínimo. Esta prática era comum nos tempos de hiper-inflação, com os preços dobrando a cada 3 meses. As pessoas precisavam de algo que fosse corrigido sempre para não perder com a inflação. Ah, como é bom não ter inflação, né? Um dia ainda penduro na minha rua uma faixa dizendo “Agradeço à FHC pela graça alcançada”.

Mas apesar de muito utilizado, não fazia sentido usar o salário mínimo como unidade de medida. Hoje então, sem inflação, menos ainda! O salário mínimo é um piso, um limitador, e não é medida de nada. Isto não existe em lugar nenhum no mundo.

Hoje o salário mínimo só é utilizado como unidade de medida na aposentadoria, e só não sobe mais por culpa da aposentadoria. Se não fosse a aposentadoria pública, o salário mínimo já seria o dobro do que é hoje, calculo eu.

É um purgante amargo que o governo precisa engolir, mais cedo ou mais tarde, mas tem que fazer. As aposentadorias precisam de outra unidade de medida separada do salário mínimo. E rápido!

O Partido Capitalista apóia esta mudança, mesmo sabendo que muita gente vai chiar. Mas o que é certo, é certo. Doa a quem doer!

Bolsa-Bandido

Não, não é piada. Existe mesmo.

Veja no site da Previdência Social ou no link abaixo:

http://www.previdenciasocial.gov.br/conteudoDinamico.php?id=22

É simples. O marginal mata alguém da sua família. Por azar foi preso. Sabe o que a sua família recebe como compensação? NADA. Mas a família do marginal recebe R$ 752,12 por mês.

Por favor, sério mesmo, ajudem o Partido Capitalista a se tornar uma realidade o mais rápido possível. Este tipo de coisa me tira do sério…