Passeata, passeata, passeata…

Passeata, passeata, passeata. Mais uma passeta.

http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2011/08/03/centrais-sindicais-marcham-em-sao-paulo-pelos-direitos-trabalhistas.jhtm

Até o título da matéria é comprado. Mas sabe o que me assusta mais? São 15 mil pessoas. Quarta-feira, 11 horas da manhã, juntaram 15 mil pessoas. De onde saiu tanta gente? Ninguém trabalha?

Propostas demagogas, gritadas na Av. Paulista. De novo, eu já reclamei disso antes, porque a Av. Paulista se não tem nada do governo lá?

A resposta é simples: Eles não querem reinvidicar nada. Apenas querem fazer propaganda deles para as pessoas que estão trabalhando na Paulista. Estão querendo justificar aquele dinheiro que eles roubam de todos nós, querendo fingir que trabalham por nós. Pagaram 30 reais para cada um daqueles desempregados fingirem-se de pessoas “engajadas” e “manifestantes”.

No meu futuro utópico capitalista, sindicato seria enquadrado como organização criminosa.

Brasileiro é o povo mais roubado do mundo

Enquanto nosso querido Superior Tribunal Federal se ocupa de decisões de extrema importância para o país, como se um bandido italiano pode ficar solto aqui ou então se um bando de maconheiro pode atrapalhar a vida dos outros com uma passeata, nós somos os idiotas mais roubados do mundo.

Entre os 30 países com as maiores cargas tributárias, o Brasil é o que proporciona o pior retorno dos valores arrecadados em bem-estar para seus cidadãos

Traduzindo: O governo brasileiro é dos que mais toma nosso dinheiro, e o que devolve menos. Ou seja, toma muito, devolve pouco, e some com a diferença.

Repare nos 10 países no topo dessa lista. Todos países assumidamente capitalistas, onde contratos são respeitados e a educação é item primordial. Países onde não há bolsa-família, muito menos direitos trabalhistas irreais e punitivos.

Mas aí vem a pergunta: afinal, se o governo brasileiro arrecada mais e devolve menos, para onde vai essa diferença? Bom, eu não vou afirmar nada, mas segue uma imagem para refrescar a memória do leitor…

Continue tenho orgulho de brasileiro, porque eu estou com vergonha…

Assalto e assassinato na USP

Porque ocorrem tantos assaltos na USP? Porque a USP não tem polícia.

Porque a USP não tem polícia? Porque aquele bando de maconheiro fez passeata pela paz (olha ela aí de novo!) pedindo pra polícia ir embora.

Porque expulsar a polícia? Pra poder fumar e cheirar em paz.

Essas pessoas sim deveriam ser responsabilizadas pelo aumento de criminalidade na USP.

Esse é o Brasil. Vem um bando de desocupado irresponsável, faz barulho, exige-se coisas absurdas usando um motivo falso para conseguir seus objetivos torpes, mas quando acontece a merda, somem.

Aprendam: Na maioria das vezes que falam em “repressão policial”, tem interesses excusos aí no meio.

Metrô Higienópolis

E mais uma vez o povo brasilóide mostra sua mediocridade, sua total incapacidade de entender uma coisa sem deturpá-la e sua vocação pra papagaio de pirata.

Primeiro vamos esclarecer uma coisa, deixando claro que são duas: uma é o metrô, a outra é a declaração da “gente diferenciada”.

Começando pela segunda, sim, foi infeliz essa declaração da “gente diferenciada”. Foi despreparada e inoportuna. Pior, racista e merecedora de punição judicial.

Agora, a primeira questão, ah, vão à merda.

Alguém aqui gosta de ter na sua porta um vizinho barulhento? Aposto que 99% dos condomínios do Brasil tem confusão por causa de vizinho barulhento. Agora imagina dúzias de camelôs sujando a rua. Camelô suja a rua sim. Me mostre uma rua que tenha camelôs que seja limpa que mudo de sexo amanhã. Agora junte a isso bancas vendendo comida, tocando música alta, ponto final de ônibus e criminalidade à mil. Você gosta disso? Tudo bem, vá morar no Capão Redondo e deixe Higienópolis em paz.

Eu não moro em Higienópolis, nem sou “diferenciado”, muito menos rico, mas eu não quero metrô na minha porta também.

Vi imbecis também comentando que ah, esses “judeus metidos” (olha a discriminação!) andam de metrô em Nova Iorque e acham lindo, e aqui reclamam do metrô na sua porta. Se esse infeliz tivesse andando de metrô em Nova Iorque, saberia que, se o metrô aqui fosse igual o de lá, ninguém estaria falando nada.

Vi muita gente também achando que ah, se eu sou pobre e tenho que conviver com isso, esses ricos metidos também tem que sofrer. Acho legal essa atitude de querer nivelar pra baixo. Quer dizer que Higienópolis tem que piorar pra ficar uma favela, e não o contrário? Não seria o ideal melhorar onde está ruim e deixar onde está bom em paz? Tô achando lindo que não vão investir em um bairro rico! Montem essa estação onde o povo precisa!

E essa PALHAÇADA dessa idéia ridícula do “churrasco”? Meu, porque não se mobilizam assim pra arrumar as calçadas dos seus próprios bairros e deixam o bairro dos outros em paz? Parem de tomar conta do bairro dos outros! Parem de tomar conta da vida dos outros! Isso aqui  não é Big Brother! Olhe o seu bairro! Se mobilize para melhorar o seu e deixe os dos outros em paz! Larga mão de ser invejoso!

A esse povo medíocre, invejoso, que se revolta por rede social, tuita por iPhone pré-pago, se preocupando com o bairro dos outros enquanto na porta da casa dele tudo está um lixo, meu total completo e mais puro desprezo.

OBS.: Atualizando. Agora tem gente querendo organizar PASSEATA!!! PASSEATA!!! Gente que se bobear nem mora em São Paulo está se preocupando com a Estação Higienópolis-Mackenzie!!! Eu quero morrer!!! Bando de desocupado!!! Eu já disse o quanto eu odeio passeata (clique aqui), agora, essa é a campeã da imbecilidade!!!

Implicante

Descobri mais um site que vale a visita. Mais um brasileiro se mexendo pra colocar um pouco de lógica nessa republiqueta ignorante.

Pare o que estiver fazendo e visite http://www.implicante.org/

Netinho, Canadá, Austrália e os índios

Fato 1: Netinho está em segundo lugar nas pesquisas para eleição de senador por São Paulo.

Pior, está atrás da Marta não-mais-Suplicy, empatado com o Quércia! Com o Quércia! Isto numa eleição onde a Dilma está na frente nas pesquisas mais do que estava o Tio Lula na última eleição. Justamente a Dilma, que tem um passado controverso e nunca foi ninguém na política.

Netinho já é vereador por São Paulo, e foi eleito em terceiro lugar no último pleito. E, como desgraça pouca é bobagem, é candidato pelo PC do B. Sim, o partido comunista. Mas o mais engraçado é que isto não é levado em consideração em nenhum momento. Veja essa matéria do G1 onde sequer é citado o partido do Netinho.

Fato 2: Cada vez mais brasileiros de classes mais altas imigram para Canadá e Austrália.

Canadá e Austrália são dois países incríveis. Tem dos melhores índices de qualidade de vida do mundo. Tem vagas de empregos mas faltam pessoas. Ruas limpíssimas. Criminalidade beirando o zero. Um sonho. Não há mendigos. Não há bolsa-família. A esmola é repudiada. Os impostos são baixos. A educação e saúde nos faz querer nos beliscar para ver se não estamos sonhando. E, pra piorar, ainda aceitam brasileiros que tenham um mínimo de educação. Depois querem me convencer que o capitalismo é mau…

Basta digitar no Google “imigração canada australia” que aparecerão milhares de sites e empresas que podem lhe auxiliar neste processo. A Austrália, pra ajudar, tem um clima praticamente igual ao do Brasil, apesar de ser do outro lado do mundo. O Canadá já é mais perto e tem a vantagem de ser ao lado dos Estados Unidos, permitindo assim algumas viagens de férias mais interessantes, porém é frio pra diabo. É tirar no uni-duni-tê e ir viver num lugar decente e seguro.

Fato 1 + Fato 2 = Vamos devolver o Brasil para os índios e vamos embora. Cansei dessa merda.

Nordeste: Problema e Solução – Universidades

Conforme explanado no meu post anterior, vou relatar aqui uma idéia para o desenvolvimento do norte e nordeste brasileiro: Universidades.

Faça-mos um exercício mental. Imaginemos uma mega universidade pública no meio do nordeste. O que aconteceria no decorrer da história?

Imaginem milhares de jovens espalhados pelo Brasil em busca de estudo e trabalho, e de repente aparece uma universidade gratuita fora dos grandes centros. Eis aí uma oportunidade de estudar para este jovem. Já é cultura de muitos países desenvolvidos o ato de “enviar” os filhos às universidades. A miscigenação de culturas, a experiência de estar longe dos pais, conhecer um lugar diferente, por si só já é quase tão importante quanto os estudos.

Agora imaginem para a região. O governo não precisa incentivar nada. A universidade levará à região uma nova cultura. Pessoas de cidades, com noção de direitos, estarão ali, convivendo, consumindo, vivendo e contribuindo para o local. O grande lance do desenvolvimento é fazer com que as coisas andem sozinhas. Se o governo precisar fazer tudo, não funciona, a história já provou isso.

Levar pessoas com mais estudo para um lugar sem desenvolvimento sempre deu certo no mundo. Onde foi construída uma universidade, surgiu ao seu redor uma cidade próspera que não depende de governo para viver.

No Brasil há uma imensa população de jovens que não tem horizonte algum em suas vidas. Os jovens não tem futuro no Brasil. Não vêem nenhum horizonte em suas vidas. Uma universidade gratuita é a oportunidade dele de ter um futuro, é um eldorado que surge, uma esperança numa terra distante, que pode se tornar seu lar.

Está na hora de invertermos a migração que existe no Brasil. Fazer com que os jovens pobres do norte e nordeste não venham superlotar as favelas do sul e sudeste, e sim que os jovens do sul e sudeste levem apoio e desenvolvimento ao norte e nordeste. Parar de dar a esmola do bolsa família e dar futuro para essas pessoas.

Eu sei que é apenas uma idéia. Pode até ser uma idéia maluca, mas eu acredito que pode ser discutida e melhorada. De repente não neste formato que eu propus, mas de uma outra maneira que atinja o mesmo objetivo: O Desenvolvimento.

E você? O que acha?

São Paulo e moradores de rua

Gostei muito da matéria que saiu no Jornal Metro no dia 19 de abril de 2010, sobre o trabalho da prefeitura de São Paulo para atender os moradores de rua. Segue o link:

http://www.readmetro.com/show/en/MetroSaoPaulo/20100419/1/13/

Nesta reportagem, vi alguns fatos que corroboram o que tenho falado aqui no blog.

  • Foram fechados albergues por pura falta de demanda. Ou seja: há lugares limpos, com direito a banheiro, chuveiro, cama quente, agente de saúde e comida para os moradores de rua. Eles que não querem ir.
  • No inverno de 2009, no dia mais frio do ano, peruas da prefeitura foram acolher os moradores de rua. Eles recusaram ajuda e 500 leitos ficaram vazios.
  • E o mais grave de tudo: A prefeitura não consegue atender mais porque há muita gente e ONG’s que distribuiem comida, roupas e dinheiro. Com comida pra ficar de pé, cobertor pra não morrer de frio, e dinheiro pra comprar crack, quem vai pro albergue?

Ou seja, quando você ajuda um morador de rua, mesmo com comida, você só está incentivando que ele fique na rua, e não num albergue.

Ajude um morador de rua: Não dê esmola!

Esmola: O dono do bar agradece

Essa foi ótima e aconteceu este último sábado aqui ao lado do meu prédio.

Eu estava almoçando na padaria aqui na rua. A padaria tem umas cadeiras em uma área aberta na entrada, e lá estava eu curtindo meu X-calabresa. De repente escuto uma buzina e vejo do outro lado da rua um mendigo saindo do bar e quase sendo atropelado.

Na terceira tentativa ele conseguiu atravessar a rua. Estava “pra lá de Bagdá” nitidamente e veio direto em direção às mesas da padaria. Ou melhor, diretamente na minha direção. Eu, obviamente, neguei a esmola.

Sem cerimônia o mesmo se dirigiu à mesa ao lado e conseguiu 2 reais. Após conferir a “féria”, mais 2 tentativas de atravessar a rua. Quase que derruba um motoqueiro que não tinha nada a ver com a história. E lá foi ele de volta para o bar.

Aposto que ele queria comprar pão e errou o lado da rua…

Pregação criminosa

Quando eu estava na segunda série da escola, com 8 anos de idade, eu ganhei minha primeira estrela do PT. Um broche, me lembro que era de plástico, que ganhei na escola. Os professores distribuíram para todos os alunos em sala de aula.

Era 1985, a ditadura acabou, Tancredo foi eleito, e em novembro haveriam as eleições para prefeito. Por isso a distribuição de estrelas. Fomos incitados pelos próprios professores a sair na rua e gritar “PT! PT! PT!”. Eu achei o broche legal, usava ele como estrela de xerife pra brincar, sem fazer idéia do crime que estava sendo cometido por nossos professores.

Infelizmente esse crime existe até hoje em muitas universidades. A pregação religiosa do comunismo, do PT e dos tais “movimentos sociais” de maneira unilateral. Ninguém “explica” nada, simplesmente se obriga a todos a acreditar.

Aproveito meu espaço aqui para criticar essa atitude criminosa. Convido a todos a divulgarem esse crime e explicar a todos que esta pregação para menores de idade é anti-democrática, hipócrita e criminosa.

« Older entries